Comportamento Obsessivo

Para parcela das pessoas, estabelecer metas ajuda a impulsionar conquistas e dar motivação no sentido de ter uma vida de melhor aproveitamento, uma vez que é algo finito. Sendo assim, como outras decisões da vida é preciso que se adotem metas saudáveis, sejam elas a longo ou curto prazo.

É normal que indivíduos adotem uma postura de foco extremo em seus objetivos tanto profissionais quanto pessoais e afetivos. As metas são das mais variadas possíveis, sendo comum aumentar o empenho e ter sucesso na carreira, em alguma prática esportiva, atingir o peso ideal, preparar uma festa de casamento perfeita etc.

O primeiro e principal sintoma de um possível pensamento obsessivo é quando se passa a viver apenas para esse objetivo. Ao contrário do que parece ser, o indivíduo não sente prazer em sua obsessão, diferente disso ele sofre com a angústia da incompletude e culpa. Para a pessoa obsessiva não há desfecho para o que se quer alcançar, o motor de tudo é a própria busca, levando à consequente sensação de falta permanente.

Na ideia fixa cria-se a todo o tempo uma atmosfera onde se exclui todo e qualquer pensamento que não o assunto ou objetivo em questão, este é, portanto, um importante sinal que deve ser observado e conversado. A obsessão leva a um sofrer solitário, onde muitas vezes o próprio paciente percebe algum exagero, mas tem grande dificuldade de assumir.

Por meio do trabalho psicoterápico é possível investigar o que leva o indivíduo a buscar esse mecanismo que o desestabiliza e leva a problemas sociais. O tratamento não consiste em afastar o paciente da sua “meta”, mas diluir a dimensão dada aquele fato ou objetivo, para assim entender a real importância e significado para aquela pessoa.

Rolar para o topo