Por que obedecemos?

Em razão das experiências observadas na Segunda Guerra Mundial, o psicólogo nova-iorquino Stanley Milgram realizou um experimento – de desfecho chocante -, na busca de uma explicação sobre o porquê tamanha atrocidade aconteceu sem que seus combatentes simplesmente se negassem a cumprir as ordens.

Ao recrutar pessoas para seu experimento, oferecendo-lhes 4,5 dólares para participarem, Milgram apresentou os mesmos a outro participante – Wallace -, que fingia ter problemas cardíacos. A experiência, acompanhada por um suposto professor e um supervisor, consistia em fazer perguntas a Wallace que estava em uma outra sala, de modo que cada vez que a resposta fosse errada, a instrução era de aplicar choques elétricos com voltagens cada vez maiores – a corrente elétrica também não era real.

Nos primeiros choques Wallace gritava de dor e a 315 volts, gritava desesperadamente. Acima de 330 volts, vinha o silêncio. Sendo assim, a cada hesitação do participante, o supervisor pedia-lhe que continuasse. Mesmo mostrando sinais de aflição, dois terços dos participantes aplicaram até 450 volts, pois recebiam como ordem do supervisor. Dessa forma, Milgram concluiu que somos criados de modo a obedecer a figuras de autoridade, mesmo que suas decisões sejam contrárias aos nossos valores.

Rolar para o topo