Artigos, publicações

Relacionamentos abusivos

Ao contrário do que muitos pensam, um relacionamento abusivo não se manifesta apenas pela agressão física. Ameaças de morte e feminicídio é o que nos chega para assistirmos nos jornais, levando-nos a acreditar que, somente assim, a violência se faz presente. Entretanto, trata-se de uma construção patológica e doentia de um dos lados da relação, ou dos dois. Independentemente da origem, o abusador encontra na vítima um terreno fértil para que com ela possa agir de maneira agressiva, manipuladora e, na maioria das vezes, perversa.

Os relacionamentos abusivos não devem ser observados apenas quando o uso da violência física é recorrente ou o feminicídio é o desfecho. Além do mais, o relacionamento abusivo pode acontecer por muitos anos, sem qualquer agressão física e as vítimas podem ser pessoas bonitas, bem resolvidas, bem sucedidas, extrovertidas, intelectualizadas, e por aí vai. Isso porque, muitas vezes, o agressor segue padrões que apontam para a manipulação do outro como, por exemplo, o “excesso de amor”.

A sedução por meio de demonstrações de amor que, por sua vez, podem ser agradáveis e nutrir a autoestima são comuns, porém, talvez não sejam espontâneas e estejam ali para confundir e desviar o foco. O romantismo não deve servir para compensar os abusos, sendo esse, mais um dos padrões que ajudam a banalizar os relacionamentos tóxicos, uma vez que, aos olhos da sociedade, o abuso psicológico não faz parte desse quadro que, infelizmente, contabiliza cada vez mais vítimas no Brasil e no mundo todo.

Leia também Dependência Emocional e Relacionamentos Abusivos.